DE VOLTA A BETEL

      Textos: Gênesis 31.13

INTRODUÇÃO: Jacó teve uma carreira variável, seu caráter esteve manchado pelo engano através de grande parte de sua vida.

Ele havia estado em Betel (a casa de Deus) e havia visto o Senhor de uma maneira que havia mudado sua vida. Porém o tempo e a distância haviam feito seus estragos e chegou ao momento em que Deus ordenou que voltasse.

Todos nós temos experiências de Betem em nossas vidas. Deus quer que voltemos a Betel.

I. QUE ERA BETEL?

a. Era um lugar perto da luz, onde Jacó havia passada uma noite de benção.

b. Era um lugar de grande vitória.

c. Deus havia falado com Jacó.

d. Jacó havia feito um voto a Deus.

e. Deus havia confirmado suas promessas a Jacó.

II. COMO DEIXOU BETEL?

a. Jacó cometeu dois erros enquanto estava ali.

         - Centralizou-se mais no lugar do que no Senhor.

         - Fez votos em energia carnal.

b. Jacó deixou de cultivar a benção.

         - Isto se vê com seus atos com o gado de Labão.

         - Jacó cuidou de obter o melhor.

                   - Introduziu-se em um tempo de “idas e vindas” em lugar de cultivar as bênçãos de Deus.

c. Jacó se encontrou logo com Deus.

         - Veio uma grande benção. (Gn. 32.24-30)

         - O desânimo inclui.

                   Negligência em cumprir a palavra. (Gn. 33.12-17)

                   Tendência a apoiar-se no mundo. (Gn. 33.18-20)

                   Negligência em repreender o pecado; tolerância para o pecado. Uma característica constante de um caminho pendente abaixo que leva a aceitar coisas que antes havíamos rejeitado.

III. COMO NÓS VOLTAREMOS A BETEL?

a. Reconhecimento: Temos que ver onde estamos e reconhecer até que distância nós temos nos apartado da vontade de Deus.

b. Renovação: Temos que tratar com os problemas em nossas vidas tanto em confissão como abandonando-as.

c. Restauração: Voltar ao lugar da benção e ao Deus da benção.

CONCLUSÃO: Se temos nos apartado de nosso Betel, Deus está desejoso que voltemos. Temos que reconhecer onde nós nos encontramos, afrontar o estado em que estamos, e renovar nossa dedicação como antes.