DIREITOS E OBRIGAÇÕES DO MINISTRO DO EVANGELHO

     

Direitos do ministro do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo

  • Fiscalizar a obra e seu funcionamento;
  • Ser líder de seus cooperadores ou auxiliares e membros da igreja;
  • Estar sempre à frente de todas as atividades da igreja;
  • Ter cultura condizente com a sua posição;
  • Ter cultura específica boa;
  • Dirigir os cultos de sua igreja regularmente;
  • Participar de todas as reuniões oficiais e outras, quando necessário;
  • Promover reuniões de oração, consagração, doutrina, ensino, avivamento e outras;
  • Participar das convenções que fizer parte;
  • Relacionar-se bem com ministros e obreiros do ministério geral ou local;
  • Relacionar-se bem com os presbíteros, diáconos e cooperadores local e geral;
  • Ter estado civil regular de sua escolha (solteiro, casado, viúvo);
  • Relacionar-se bem com as autoridades federais, estaduais e municipais;
  • Formar cooperadores;
  • Promover a preparação de auxiliares;
  • Promover substituição imediata de cooperadores para evitar males maiores à obra;
  • Apurar acuradamente todos os casos de disciplina em sua igreja;
  • Promover cursos bíblicos de férias;
  • Promover escola bíblica, se a igreja tiver condições;
  • Incentivar todos à frequência aos cultos e atividades da igreja;
  • Destinar dias especiais para doutrina semanal e mensal;
  • Destinar reuniões periódicas para obreiros da igreja;
  • Destinar dia especial para celebração da Ceia do Senhor;
  • Não aceitar falatórios levianos contra companheiros, auxiliares ou membros da igreja;
  • Cuidar bem da própria saúde e de seus;
  • Não exigir demais do próprio corpo ou da mente;
  • Orientar auxiliares sobre os cuidados pessoais e familiares;
  • Inviolabilidade de seu lar;
  • Respeito pessoal, funcional e à família;
  • Entrar em contato com as autoridades locais em passagem ou assunção de cargos;
  • Comunicar as autoridades locais a assunção ao pastorado da igreja;
  • Orientar auxiliares e membros da igreja sobre assuntos cívicos;
  • Não permitir discussão de membros de outras igrejas no templo;
  • Celebrar solenidades religiosas em sua circunscrição;
  • Orar por enfermos ou ungir doentes que assim desejarem;
  • Promover atividades de assistência social;
  • Convocar auxiliares para as reuniões de cooperadores;
  • Promover trabalhos especiais com crianças, jovens e senhores;
  • Promover trabalhos especiais com as irmãs do círculo de oração;
  • Promover encontro ou congresso com a mocidade local ou setorial;
  • Presidir reuniões ou assembleias da igreja;
  • Promover trabalhos de reconciliação;
  • Promover trabalhos de evangelização ou a favor de desviados;
  • Difundir a boa literatura e incentivar a cultura;
  • Orientar os crentes no sentido de observarem os preceitos legais;
  • Manter secretaria, tesouraria, arquivos e biblioteca da igreja;
  • Criar e manter tantos departamentos quantos sejam necessários na igreja;
  • Promover biblioteca e meios de comunicação para o gabinete pastoral;
  • Prover sistema de segurança para a igreja (contra furto, incêndio e roubo);
  • Prover sistema de segurança aos veículos, especialmente da igreja;
  • Prover assistência médica durante os cultos;
  • Prover sistema de expediente diário, e plantão fora de expediente;
  • Fiscalizar o cumprimento das normas e compromissos da igreja;
  • Prover assistência jurídica para a igreja;
  • Fiscalizar e controlar arquivamento de documentos patrimoniais da igreja;
  • Criar sistema de auxílio a ministros e famílias de ministros;
  • Manter um sistema de comissão de compras e construção;
  • Orientar ministros sob sua jurisdição a contribuírem para a previdência;
  • Não admitir como pastor o ministro que não tenha um sistema previdenciário;
  • Organizar um código, estatuto ou regimento interno sobre conduta;
  • Nomear comissão altamente qualificada para resolver problemas de obreiros;
  • Manter cadastro dos obreiros da igreja;
  • Manter endereço das igrejas de seu campo, da denominação e de outras;
  • Preparar, separar e reconhecer obreiros com a igreja, ministério ou presbitério;
  • Não declinar de sua autoridade de ministro do evangelho;
  • Impor-se pela moral e pela vida digna;
  • Cooperar para o crescimento da editora da denominação;
  • Dar assistência espiritual, moral e financeira a auxiliares;
  • Dar assistência a obreiros em serviço nas missões;
  • Manter controle de móveis, utensílios e equipamentos da igreja;
  • Manter rigoroso controle sobre instrumentos musicais da igreja (ou patrimônio da igreja);
  • Manter permanente trabalho de evangelização;
  • Manter dentro das possibilidades da igreja, evangelização por rádio, televisão ou outros sistemas de comunicação;
  • Manter distribuição de literatura evangélica;
  • Não permitir que sua família ou de companheiros venham se imiscuir em assuntos do ministério ou de obreiros (a menos que seja obreiro também);
  • Não aceitar candidato por ser parente seu ou de companheiro;
  • Não permitir perseguição;
  • Só aplicar disciplina punitiva quando o fato exigir;
  • Orar pelos elementos da Ceia do Senhor sempre que o achar conveniente;
  • Emitir credencial para obreiros;
  • Dar carta de mudança ou recomendação a obreiros ou membros da igreja;
  • Não permitir o uso do altar para promoções políticas ou outra de quem quer que seja;
  • Apoiar qualquer candidato conforme sua consciência cristã.