ESCOLHENDO A MELHOR PARTE

Textos: Lucas 10.38-42

INTRODUÇÃO: A vida envolve uma sequência continuada de lições que nós devemos enfrentar. Uma das coisas mais difíceis em toda esta questão de lições é escolher sabiamente. Nesta passagem, duas irmãs tiveram que tomar uma decisão. O que elas escolheriam e o que Cristo teve que dizer para mostrar que suas palavras eram instrutivas?

I. UM ESTUDO EM CONTRASTE

a. Maria, a irmã menor.

         - “Sentando-se aos pés de Jesus...”, Queria absorver seus ensinos.

         - “Ouvia sua palavra”. Estava escutando atentamente com exclusão de todos os demais.

b. Marta, a irmã maior.

         - Ela revelou a Cristo em sua casa; Demonstrou-se discípula ao dar-lhe hospitalidade.

         - Estava preocupada com o serviço, servia ao Senhor tratando de fazer o melhor.

         - Na verdade sua má atitude, tinha se fadigado com os serviços e afazeres e pediu que ordenasse a sua irmã para vir ajuda-la, e fez patente sua atitude.

II. UMA REPREENSÃO CALMA

Cristo respondeu correto a Marta.

a. Dirigia-se a ele com ternura, “Marta, Marta”. A repetição mostra a ternura das palavras que lhe dirigiu.

b. Analisou a atitude dela.

         - Viu “atarefada” cheia de ansiedade;

         - Viu “perturbada”, inquieta e oprimida como resultado de sua agitação anterior;

         - Viu “dedicada” a muitas coisas, ocupada e agitada por um montão de coisas diferentes.

c. Definiu o problema dela.

         - As muitas coisas haviam tirado do lugar “uma coisa só é necessária”. O serviço só é mal quando se converte em um substituto, que era o que era o que havia acontecido com ela.

         - “Uma coisa só é necessário”: o tempo, o pensamento dedicado a Ele, um tempo de atenção fixa nele.

III. UMA EVOLUÇÃO DA LIÇÃO

a. Cristo faz uma declaração

         - Maria havia escolhido a melhor parte (havia escolhido o serviço com devoção antes do serviço sem devoção)

         - Sua parte não havia sido tirada (na realidade) ele recusou atuar conforme a situação de Marta.

b. A razão para a valorização

         - Maria havia escolhido: comunhão, instrução, adoração, crescimento e preparação.

         - Se Marta tivesse feito o mesmo, se não se agitasse, poderia servir melhor.

c. A lição

         - Às vezes temos que escolher entre a doação com o serviço e ao serviço sem doação.

         - Temos que aprender o que Marta aprendeu.

         - Um serviço eficaz depende de uma doação eficaz.

         - A carência de devoção resulta em frustação e tensão.

CONCLUSÃO: Escolhendo sentar-se aos pés de Jesus. Maria estava feliz por escolher a melhor parte. Marta foi repreendida não por seu trabalho, mas por sua atitude, que teve um resultado devocional fracassado.

Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário, ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte e esta não lhe será tirada. Lc. 10.41-42

Antes fizeste o mal, pior que todos os que foram antes de ti, e fizeste outros deuses e imagens de fundição, para provocar-me à ira, e me viraste as costas. I Reis 14.9