FOGO NO ALTAR – RESPOSTA DAS ORAÇÕES

Textos: I Rs. 18.38

INTRODUÇÃO: Quando oramos aproximando-nos de Deus com o coração, crendo na resposta d’Ele, algo extraordinário sempre acontece, usemos este imenso recurso à nossa disposição e vejamos o fogo ser enviado abundantemente, e que Deus nos dê sua graça e misericórdia. Nossa pretensão é falar sobre o Espírito Santo como Fogo.

Textos Bíblicos: Lc. 12.49, At. 2.3, Sl. 104.4 e Rm. 12.1

I. O FOGO: UM SÍMBOLO DE TODA A TRINDADE!

O fogo expressa de modo especial a glória da Divindade (Ex. 24.17). Quando João, numa visão de Patmos, viu a glória celestial (Ap. 8.5), e viu também o mar de vidro misturado com o fogo (Ap. 15.2).

a. Deus: é apresentado como um fogo consumidor. (Hb. 12.29; Dt. 9.3)

b. Jesus: Manifesta-se em fogo (Ap. 1.14-15), e quando vier se manifestará como uma lavareda de fogo. (II Ts. 1.8)

c. O Espírito Santo: Manifesta-se como fogo. (At. 2.3)

d. Assim observamos que as três pessoas da Trindade têm a mesma essência, pois se manifestam em fogo, e assim são Um. (I Jo. 5.7)

e. Não se trata de fogo material, mas espiritual (O fogo de Deus não queimava a sarça, mas fez arder o coração de Moisés).

II. O FOGO DE DEUS SE MANIFESTA NAS NOSSAS EXPERIÊNCIAS ESPIRITUAIS.

  1. No tempo do velho pacto, Deus manifestava-se como fogo. Várias vezes ele permitiu que o fogo caísse do céu sobre o sacrifício que lhe era ofertado. (Gn. 15.9-11, 17-18; Lv. 9.22-24; Jz. 6.20-21; I Rs. 18.30,32,37-38; I Cr. 21.26). Isto Ele faz como aceitação da oferta. (Símbolo da aceitação da oferta do sacrifício de Jesus no calvário, Ele enviou o batismo no Espírito Santo (At. 2.32-34). Deus manifestou-se pelo fogo espiritual na sarça, e também na coluna de fogo (Ex. 13.21; Dt. 4.12). Isto significa que assim como Deus chamou Moisés através do fogo, igualmente hoje chama seus servos (At. 13.1-3).
  2. Nesta dispensação do Espírito Santo, Deus manifesta-se pelo fogo. Ele opera na salvação (Jo. 3.8), cuja experiência arde como fogo ou tocha acessa (Is. 62.1), e ele opera também no batismo no Espírito Santo e com fogo (At. 2.3; Mt. 3.11). Tanto na salvação como no batismo no Espírito Santo, é o mesmo Espírito que opera, mas em proporções diferentes. Ex: “o fogão a gás, tem chama mínima e máxima, mas tudo vem do mesmo botijão de gás” o fogo Divino se acende em nós pelo nosso encontro com Deus. (II Sm. 22.13). No batismo é plenitude (Ef. 3.16,19-21).

III. O EFEITO DA MANIFESTAÇÃO DO FOGO DO ESPÍRITO DEPENDE DA POSIÇÃO ESPIRITUAL DAQUELE QUE RECEBE

  1. Ex: “Quando num culto o Espírito se manifesta, uns se regozijam e outros sentem remorso e começam a chorar e confessar seus pecados”.
  2. Isto está previsto no tribunal de Cristo. Quando as obras que os crentes fizeram por meio do corpo serão provadas para avaliação das mesmas, a fim de que cada um receba o seu galardão, segundo a sua obra (Ap. 22.12; I Co. 3.12-15). (Meditar sobre a expectativa de ver a obra sendo aceita, “alegria”, ou rejeitada, “tristeza”).

IV. O FOGO ILUMINA

         Uma das características mais predominante no fogo é que ele ilumina (Jo. 1.5). Esta iluminação processa-se de acordo com a pessoa que recebe.

  1. A manifestação negativa do fogo. O Espírito Santo ilumina o pecado no coração do pecador. “A luz tudo manifesta” (Ef. 5.13). Quando assim acontecer se dirá: “Deus verdadeiramente está nomeio de vós”. (I Co. 14.25). Quando o fogo se manifestou em Éfeso, vários crentes que possuíam livros mágicos em suas casas, sentiram-se constrangidos a trazê-los ao seu pastor, que mandou queimá-los (Ef. 19.18-19). Paulo ajuntava vides para o fogo, este revelou a víbora, mas o mesmo fogo a consumiu. (At. 28.3-5; Mq. 3.8)
  2. A manifestação positiva do Fogo! Quando se manifesta a luz, os que vivem com Jesus, sentem a sua glória (Jo. 16.14; II Co. 4.6). As riquezas de sua glória da sua herança começam a ser reveladas para o seu entendimento (Ef. 1.17-19). O Espírito, ilumina a palavra de Deus, que por sua vez ilumina o nosso caminho (Sl. 119.105). E faz arder a nossa lâmpada (Sl. 18.28).

V. O FOGO QUEIMA

a. No sentido negativo, o fogo queima toda a ferrugem. (Ez. 24.11)

b. O fogo aquece. (Lc. 22.55; Sl. 39.; Is. 44.16);

Purifica. (Ml. 3.2-3);

Ilumina. (Sl. 78.14);

Derrete a cera. (Sl. 68.2);

Quebra. (Jz. 16.9);

Consome. (Jr. 5.14; Is. 33.14);

Limpa. (Nm. 31.23);

Prova. (I Pe. 1.7);

É sinal de proteção. (Ex. 13.21).

Quando este fogo está aceso, na igreja há maravilhas e a glória se manifesta. Meditar no impacto sobre os Israelitas quando o fogo veio sobre o holocausto.

VI. O FOGO SE UNE AO OBJETO POR ELE INCENDIADO

O fogo do Espírito só operará no crente, quando este estiver de “acordo” (Am. 3.3), ou estiver num mesmo Espírito (I Co. 6.17). (Aí diremos: “Estou no fogo e o fogo está em mim”).

  1. O fogo faz o crente fervoroso (Rm. 12.11). Uma lavareda de fogo (Sl. 104.4; Hb. 1.7). O coração fica como fogo ardente (Jr. 20.9). Não ardia em nosso coração? (Lc. 24.32). Torna-se resplandecente (Ex. 34.29; Sl. 34.5; II Co. 3.18). Estevão é o exemplo deste resplendor (At. 6.15)
  2. O fogo faz o crente buscar as coisas que são de cima (Cl. 3.1-3), a chama sempre é para cima, assim pelo fogo do Espírito somos atraídos cada vez mais para o Senhor Jesus.
  3. O fogo faz também subir ao céu as nossas orações. Foi pelo fogo no altar do incenso, que este era transformado em fumaça aromática, que subia (Ex. 30.7), assim também o Espírito, ajuda-nos em nossas orações a subir como incenso diante de Deus. (Sl. 141.2; Rm. 8.26)
  4. A Bíblia diz: “O fogo nunca diz basta” (Pv.30.16). Isto n´s conhecemos no sentido material. E no sentido espiritual é muito maravilhoso, quando o Espírito estiver operando na vida do crente, ele nunca dirá basta, já sei tudo, de nada tenho falta, não fica inchado pensando que é autossuficiente. O fogo do Espírito Santo sempre diz: “maiores coisas do que estas verás” (Jo. 1.50). O Espírito sempre manda prosseguir. (Jr. 33.3)
  5. Com o fogo aceso, o crente está preparado para o arrebatamento. A salvação deve sempre arder como tocha (Is. 62.1). O fogo do batismo no Espírito Santo deve aumentar (At. 2.3). Enquanto o fogo estiver aceso, neste temo de escuridão em que vivemos (II Pe. 1.19). Os animais selvagens não poderão atacar (I Pe. 5.8). O crente recebe poder para conservar e o inimigo não lhe toca. (I Jo. 5.18). Que as nossas lâmpadas estejam acesas.

“Ou somos de fogo ou o fogo nos consumirá”.