O MENDIGO CEGO DE JERICÓ

Textos: Marcos 10.49-50

INTRODUÇÃO: Este homem é um retrato de como deveriam tornar-se alegres aqueles que buscam a Cristo. No isolamento de suas trevas e de sua profunda pobreza. Ele pensou que Jesus era o filho de Davi, e disso ficou certo. Embora não enxergasse, fez bom uso dos ouvidos. Se não temos todos os dons, usemos os que possuímos.

I. ELE BUSCOU AO SENHOR EM CONDIÇÕES DE DESESTIMULO

a. Ninguém estimulou a sua busca.

b. Muitos se opuseram aos seus esforços (v.48)

c. Por algum tempo Jesus não deu atenção.

d. Não passava de um cego pobre.

II. RECEBEU ESTÍMULO

a. Esse estímulo veio do Senhor, que o chamou. Existem diversas chamadas que chegam aos homens.

b. Chamada universal. (Jo. 3.14-15)

c. Chamada do indivíduo (Is. 55.7; Mt. 11.28), os cansados e oprimidos.

d. O chamado ministerial (At. 13.26-38-39 e 16.31)

III. MAS O ENCORAJAMENTO NÃO O CONTENTOU

         Recusar-se ir a Jesus e ser curado é tolice.

  1. Ele levantou-se. Deixando a mendicância.
  2. Lançou de si a capa e todo impedimento. Nossas justiças, hábitos.
  3. Foi a Jesus. Na escuridão da cegueira. Seguiu a voz do Salvador.
  4. Expôs seu problema. “Torne a ver”.
  5. Recebeu a salvação. “A tua fé te salvou”.

IV. TENDO ACHADO A JESUS, SEGUIU-O

  1. Usou a sua vista para ver seu Senhor.
  2. Tornou-se seu discípulo confesso. (v.52)
  3. Foi com Jesus, em seu caminho para a cruz e para a coroa.
  4. Permaneceu um bem conhecido discípulo sendo mencionado o nome de seu pai.

“Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena”. Pv. 24.10