O PERIGO DA DIFERENÇA

Texto: Apocalipse 2.1-7

INTRODUÇÃO: Uma das coisas que os cristãos mais se orgulham é sua diferença acerca do mundo em seu redor. Porém há um ponto em que a diferença pode se transformar em um perigo.

I. DIFERENÇAS DIGNAS DE LOUVOR

a. Haviam feito muitas coisas boas na Igreja de Éfeso.

b. Entre aquelas boas obras, trabalho árduo, entrega constante, desfazendo o mal, prova dos falsos profetas, paciência firme, labor incessante e firmeza sem desmaio.

II. PERIGOS CORROSIVOS

  1. Haviam confundido.

A excentricidade com a diferença.

A diferença com a espiritualidade.

b. Eram orgulhosos e por eles mesmos críticos.

c. Haviam caído em um tradicionalismo.

III. O DIAGNÓSTICO “TENS DEIXADO TEU PRIMEIRO AMOR”

  1. Era um “primeiro” amor tanto cronologicamente como com respeito a prioridades.
  2. Era “amor”

Por Deus e pela palavra de Deus.

Por outros filhos de Deus, um dos primeiros sinais de fracasso, em nosso amor a Deus, e nosso fracasso no amor aos filhos de Deus.

  1. Eles haviam deixado

O fervor, a profundidade e o significado, questão do coração mais que da cabeça.

Isto havia sucedido no processo de pôr a prova o falso.

Aconteceu ao acostumar-se às coisas do mundo e ao deixar de cultivar aquele amor.

  1. Os resultados eram

Atividades sem realidade.

Ortodoxia sem compaixão.

IV. INSTITUIÇÕES CORRETIVAS

  1. Lembre. Volta-se ao ponto de partida e reconhece que algo vai mal.
  2. Arrepende-te. Admite que tens falhado e a falha é sua.
  3. Faz. O arrependimento sempre tem como propósito levar a ação.

V. DECLARAÇÃO HUMILHADORA

a. O bem, a alternativa proposta deseja uma maior urgência.

b. O candelabro tirado. A igreja seria posta de lado por meio de um juízo especial.

c. Meio de correção. Pelo arrependimento, e não há outra maneira.

CONCLUSÃO: É possível ser diferente e separado e ainda fracassar em tudo, se esquecermos o primeiro amor.

“Tenho, porém, contra ti que abandonaste o primeiro amor”. Ap. 2.4